terça-feira, 29 de março de 2016

#06








O som do relógio batendo poderia me lembrar do seu coração.
O silencio da noite e o ar frio me trariam de volta para seu lado.
Os passos que eu dou seriam para sua direção.
Cada vez que eu deitasse imploraria para que fosse ao seu lado.
Faria um caminho com minhas palavras para um mundo apenas seu e meu.
Escreveria poemas para me lembrar de como era seu rosto.
Desenharia para lembrar o tom da sua voz.
Se eu contar as estrelas teria o número de vezes que direi que preciso de você.
Acreditaria que tudo que eu ouço é dito por você.
Poderia eu prever o que aconteceria se não olhasse para o lado?
O lado em que estava o que me resguarda.
Irrequieta sensação de que me espreita.
Um fim como esse não pude prever.
E agora o que me resta.
É penar.
É aguardar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário